"Vou provar na Justiça quem está mentindo", diz ex-aluno sobre polêmica com Aguinaldo Silva por novela

"O Sétimo Guardião" está prevista para 2018 na Globo

Foto/montagem: NaTelinha

Publicado em 16/07/2017 às 08:55:52 , atualizado em 18/07/2017 às 12:25:05

Por: Sandro Nascimento

A polêmica em torno da cessão de direitos autorais da nova novela de Aguinaldo Silva na Globo, "O Sétimo Guardião", está longe de terminar. Em contato com a reportagem do NaTelinha, um ex-aluno que participou da oficina de roteiristas em 2015, afirma que vai entrar na Justiça e reivindicar sua coautoria na sinopse da trama.

Ainda de acordo com este ex-aluno, que pediu para não ser identificado por medo de perseguição e assédio da imprensa, ele teve uma participação importante na elaboração da história central da novela e que, além disso, criou e sugeriu diversos personagens de "O Sétimo Guardião" durante as aulas ministradas por Aguinaldo Silva.

Por ter assinado o último termo de cessão de direitos autorais, onde consta uma cláusula de confidencialidade, ele não pode dar entrevistas, mas revela que vai à Justiça por ter assinado sob pressão e considerá-lo "inconstitucional".

"Toda verdade se tornará pública. Certas coisas se provam judicialmente. Contra provas não há argumentos. Aguinaldo não plagiou, até mesmo porque, ao trabalhar a sinopse criada pelos alunos, ele ajustou algumas situações, criou novos personagens e modificou outros, conforme sua experiência. Com isso, Aguinaldo se torna autor também. O que ocorreu é que ele nega o direito moral dos autores ao apresentar numa emissora a obra como se fosse unicamente dele. A sinopse não é só dele, é de 27 pessoas, ou seja, os 26 alunos e ele", conta o ex-aluno com exclusividade ao NaTelinha, frisando que sua declaração não é em nome dos outros participantes do curso e completa: "Falo apenas por mim. A insatisfação é minha e não concordo com o que foi feito".

O ex-aluno procurou o NaTelinha após entrevista de Aguinaldo Silva ao site da jornalista Regina Rito, onde o novelista falou sobre a polêmica.

"Alguns jornalistas saíram dizendo: 'plágio, plágio, plágio'. Eles precisam aprender o real significado das palavras. Um escritor não pode plagiar a si mesmo e nesse caso não era plágio. Houve um único aluno que discordou do procedimento, mesmo depois de assinar os documentos todos cedendo os direitos de uso do material da MasterClass. Tudo isso foi feito juridicamente, com um tratamento muito rigoroso, muito criterioso e não há o que reclamar", disse ele.

"Quanto a querer ser colaborador, nunca me ludibriei com isso

Ex-aluno de Aguinaldo Silva

"O que os alunos pagaram para fazer a MasterClass foram R$ 4 mil, eu devolvi depois com correção monetária, eles receberam R$ 5 mil, ou seja, eram 26 alunos e eu paguei 130 mil reais, o que é um ótimo preço; a Globo não pagaria isso por nenhuma sinopse. Esse aluno achou que tinha que ser meu colaborador na novela ou do contrário ele criaria problemas. Tentou criar, mas não conseguiu", afirmou Aguinaldo.

Em resposta ao autor e se mostrando insatisfeito, o ex-aluno desabafa: "Por que ele não fala o nome deste aluno? Vou provar na Justiça quem está mentindo".

"Quanto a querer ser colaborador, nunca me ludibriei com isso, apesar de ter sido dito na MasterClass e também constar no primeiro documento assinado que um ou mais alunos poderiam ser escolhidos como 'colaborador'", completou.

Procurada, a Central Globo de Comunicação. ainda não confirmou a novela "O Sétimo Guardião" na fila das 21h para 2018 substituindo "O Outro Lado do Paraíso", de Walcyr Carrasco, que por sua vez entra logo após "A Força do Querer", no fim deste ano. "Não costumamos divulgar essas informações. Fazem parte do planejamento interno da empresa", disse.



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!